brazilian e-commerce | e-commerce brasileiro
brazilian e-commerce | e-commerce brasileiro

E-commerce brasileiro cresce 16% no primeiro trimestre de 2019

Depois de um ótimo 2018, quando o mercado de e-commerce brasileiro apresentou crescimento de receita de 12%, o primeiro trimestre de 2019 trouxe mais resultados positivos para o segmento. Segundo dados da ABComm, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, houve aumento de receita de 16% nos primeiros três meses de 2019, em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Mais de 66 milhões de consumidores compraram on-line no primeiro trimestre de 2019, gastando aproximadamente R$17 bilhões. A ABComm destaca que moda, eletroeletrônicos e eletrodomésticos foram as principais categorias de produtos que impulsionaram o crescimento no período. Além disso, os dispositivos móveis foram responsáveis por 35% de todas as transações, o que reforça a importância de proporcionar uma ótima experiência de compra para os usuários de smartphones e tablets.

 

Comércio online: datas comemorativas e previsão de faturamento

No início do segundo trimestre, o Dia das Mães, comemorado este ano em 12 de maio, foi responsável por quase 10 milhões de transações, gerando uma receita de R$3,3 bilhões. O valor foi 16% maior que em 2018. O Dia dos Namorados também foi um grande sucesso. Segundo estimativa da Ebit|Nielsen, a data gerou receita 12% maior que a do ano anterior, atingindo quase R$3 bilhões em vendas.

A ABComm, assim como a Ebit|Nielsen, esperam que as datas comemorativas dos terceiro e quarto trimestres, como Dia dos Pais, Dia das Crianças, Black Friday e Natal impulsionem ainda mais as vendas. Ambas as entidades antecipam um crescimento de 16% para o segmento de e-commerce brasileiro em 2019.

O crescimento contínuo do segmento destaca seu importante papel no desenvolvimento econômico do país. Segundo a ABComm, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, existem atualmente 87 mil lojas online no Brasil, gerando mais de 320 mil empregos diretos e quase meio milhão de indiretos, com 30% das vagas provenientes de pequenas e médias empresas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *