Dispositivos móveis no mercado de e-commerce brasileiro

A indústria de e-commerce, sem dúvidas, revolucionou o segmento do varejo tradicional, com as vendas online crescendo de forma consistente em todas partes. Graças ao amplo uso dos dispositivos móveis ao redor do mudo, tanto a indústria de e-commerce como a forma como as pessoas se conectam a internet também estão se transformando. Com o crescente uso dos smartphones, cada dia mais e mais pessoas têm acesso à internet, o que está ocasionando mudanças no comportamento de navegação e compra dos consumidores. No Brasil, o cenário não é diferente. Apesar de que a maior parte das vendas online no país ainda sejam completadas no desktop, o m-commerce está crescendo rapidamente, o que reflete a importância de ter os dispositivos móveis em conta para uma estratégia de e-commerce de sucesso.

 

Visão geral sobre os dispositivos móveis no mercado de e-commerce brasileiro

O estudo E-commerce Radar, da Atlas, identificou que os dispositivos móveis (smartphones e tablets) foram responsáveis por 31% das vendas de e-commerce no Brasil no primeiro semestre de 2017. Isso representa um crescimento significativo, principalmente se considerado que menos de 22% das vendas online foram feitas em dispositivos móveis em 2016 e somente 12% em 2015. Também cabe destacar que, segundo a Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), atualmente existem 198 milhões de smartphones no Brasil, um aumento de 17% em comparação com o ano passado. A FGV-SP prevê que até o final deste ano haverá um smartphone por pessoa no país, alcançando o total de 208 milhões de smartphones.

A conversão de vendas continua sendo relativamente baixa em dispositivos móveis comparado com desktop. O principal motivo para isso consiste no fato de que muitos sites ainda não são completamente responsivos, o que faz com que seja difícil navegar em uma tela menor. Além disso, métodos de pagamentos populares, como o boleto bancário, normalmente não se adaptam às telas dos celulares e tablets. Por esta razão, a PagBrasil fez com que seu Boleto Flash® e Boleto Express fossem responsivos, permitindo que os negócios de e-commerce ofereçam uma melhor experiência de pagamento em dispositivos móveis para aqueles compradores que querem pagar com boleto.

As categorias de produtos com melhores taxas de conversão em dispositivos móveis convertem até 1,3% (moda íntima e sex shop) das vendas. Enquanto isso, o desktop tem taxas de conversão de até 4,9% (comida e bebida), 3,4% (farmácia) e 2,1% (casa e decoração).

No que se refere a número de transações, os dispositivos móveis foram responsáveis por 43% das vendas de produtos de beleza, 41% de moda e acessórios e 31% de saúde e bem-estar. Por outro lado, categorias de produtos com valores mais elevados, como eletrônicos e eletrodomésticos, têm mais transações em desktop (86%).

Outro destaque interessante do estudo se refere à fonte da venda. Entre as vendas originadas com tráfego direto, 39% foram feitas em dispositivos móveis. 48% das vendas procedentes de alcance orgânico do Facebook também foram feitas em smartphones e tablets e 61% das vendas que tiveram o Facebook ads como origem foram completadas em dispositivos móveis.

Sobre o comportamento do consumidor brasileiro com relação aos dispositivos móveis e acesso à internet, Euromonitor identificou que quase 75% dos brasileiros se sentem perdidos sem a internet e 21% executa, pelo menos, quatro destas sete atividades relativas ao comércio em seus smartphones semanalmente:

•    Comprar um produto ou serviço

•    Comparar preços estando em uma loja

•    Fazer um pagamento com o celular fisicamente

•    Pedir comida ou bebida online para buscar ou com entrega a domicílio

•    Solicitar ou reservar um serviço de ride-sharing

•    Ler resenhas

•    Usar um serviço bancário

 

O potencial das estratégias focadas nos dispositivos móveis para o mercado de e-commerce brasileiro é inegável. Além de ser essencial contar com um site responsivo ou um aplicativo eficiente, oferecer aos compradores uma experiência de pagamento sem atritos e com métodos de pagamentos adaptados para smartphones e tablets, como o boleto responsivo ou a compra em um clique, é fundamental. Se você ainda não começou a elaborar sua estratégia de m-commerce ainda, sem dúvida é hora de aproveitar a excelente oportunidade de crescimento do m-commerce no Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *