Brazilian ecommerce and co
Brazilian ecommerce and co

E-commerce brasileiro e Covid-19: estatísticas e previsões

Sete meses se passaram desde que o primeiro caso de Covid-19 foi relatado no Brasil. Agora, ainda que o distanciamento social seja fortemente incentivado em algumas cidades, outras estão, aos poucos, recuperando a normalidade. Ainda assim, alguns hábitos adquiridos no período de isolamento se mantêm. Não apenas trabalhar e estudar online se tornou uma rotina regular para grande parte da população, mas os pagamentos digitais e as compras online de produtos para o dia a dia também se tornaram frequentes.

Nas primeiras semanas da pandemia no Brasil, o e-commerce brasileiro cresceu 40%, de acordo com uma pesquisa da Compre & Confie. Além disso, o número de novos consumidores online cresceu 12%, segundo a Ebit | Nielsen. Agora, à medida que a rotina é, aos poucos, restaurada em alguns locais do país, os números no comércio eletrônico continuam crescendo. Separamos alguns insights importantes que mostram a mudança no e-commerce brasileiro desde a Covid-19.

Leia também: O impacto da Covid-19 no comércio eletrônico

 

Faturamento no e-commerce deve chegar a R$ 111 bilhões em 2020

O e-commerce no Brasil tem apresentado um aumento constante ao longo dos anos. A pandemia do Covid-19 acelerou essa crescente tendência, especialmente na categoria de Alimentos, que no passado mostrou menor adoção.

Em 2020, o comércio eletrônico no Brasil deve registrar um faturamento de R$ 111 bilhões, segundo estudo realizado pela Kearney sobre os impactos da Covid-19 no comportamento do consumidor brasileiro. Isso representa um aumento de 49% em relação a 2019. Até 2024, o estudo indica que o faturamento deve alcançar R$ 211 bilhões.

 

Crescimento do e-commerce por categoria

De acordo com o estudo realizado por Kearney, as categorias que apresentarão os crescimentos percentuais mais expressivos são Alimentos, Pet e Beleza & Cuidados Pessoais. Até 2024, as vendas devem crescer 320% em relação a 2019.

 

Expectativas para a Black Friday e o Natal

Neste ano, a Black Friday ocorrerá no dia 27 de novembro, mas a expectativa é que os lojistas brasileiros antecipem o evento para estimular o consumo. De acordo com pesquisa realizada pela Rakuten Advertising, 86% dos consumidores no Brasil vão priorizas as compras online e não pretendem diminuir seus gastos para a Black Friday e o Natal 2020.

A pesquisa também traz informações interessantes sobre o comportamento do consumidor brasileiro: 58% afirmou preferir soluções híbridas, que combinam a comodidade das compras online com o tratamento exclusivo que recebem ao comprar em uma loja física. Além disso, 50% dos brasileiros são influenciados a fazer compras online quando recebem cupons ou cashback; outros 43% são incentivados pelo frete grátis.

Apesar dos impactos gerais do Covid-19 na economia brasileira, o e-commerce foi significativamente acelerado pela pandemia. Os novos hábitos de consumo online permanecerão, e os lojistas devem se preparar para essa demanda crescente, oferecendo a melhor experiência de compra ao cliente.

Como sua loja online está lidando com a Covid-19? Comente abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *