O que é a retentativa multiadquirente e por que usá-la

Nos últimos anos, o mercado de processamento de cartões de crédito no Brasil mudou muito. Felizmente, as mudanças promovem a entrada de novos competidores e uma regulamentação melhor. O mercado de adquirência originalmente estava limitado à atuação da Cielo e da Rede (antes Visanet e Redecard). Neste contexto, cada adquirente detinha a exclusividade sobre determinadas bandeiras de cartão de crédito, por exemplo: os cartões Visa somente podiam ser capturados pela Cielo, enquanto a Rede tinha a exclusividade na captura de cartões MasterCard.
 
No entanto, em 2010 o Banco Central do Brasil e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica declararam a abertura do mercado de adquirência. Isso fez com que tanto a Cielo como a Rede passassem a aceitar as principais marcas de cartões, mantendo a exclusividade somente de algumas bandeiras. A abertura também possibilitou a entrada de novas adquirentes. Desta forma, foi aberta a porta de entrada para outras empresas como a Elavon e Stone. Além disso, movendo-se na direção de um modelo de full-adquirência, ou seja, um mercado completamente aberto, em setembro de 2015 foi anunciado o do fim da exclusividade em contratos entre bandeiras de cartões de crédito e adquirentes. A partir de então, as empresas teriam 180 dias para adaptar-se à nova norma, no entanto, o prazo foi ampliado mais de uma vez e ainda continua sem ser completamente cumprido. Como exemplos de acordos de exclusividade fechados, os cartões American Express e Elo somente eram processados pela Cielo e da mesma forma o Hipercard mantinha a exclusividade com a Rede.
 
 

O que é a retentativa multiadquirente para pagamentos online

 
Basicamente, o conceito de retentativa multiadquirente se baseia em realizar uma nova tentativa de cobrança após o recebimento de uma falha no pagamento. A primeira cobrança pode falhar por diversas razões, de um erro na conexão com o banco ou adquirente até, por exemplo, erro de conexão à Internet no lado do comprador ou o número de cartão inserido erroneamente no formulário de pagamento. Ao receber a notificação da falha no pagamento, a API do gateway contratado pode enviar a ordem de pagamento para a segunda adquirente.
 
Todo o processo ocorre no back-end da loja online, sem a necessidade de que o comprador execute nenhuma ação. De fato, o consumidor nem sequer se dá conta de que o processo está configurado desta forma. Com esta simples configuração, o comerciante evita que o comprador abandone a página sem finalizar o pagamento. Este seria o fluxo de pagamento:
 
fluxo pagamento retentativa multiadquirente
 
O sistema da PagBrasil permite definir preferências e prioridades como, por exemplo, determinar a adquirente principal e a secundária, segmentar segundo a bandeira do cartão ou inclusive o número de parcelas em pagamentos parcelados. Estas configurações precisam ser programadas pelo lojista.
 
 

Principais vantagens

 
Sem dúvidas, a retentativa multiadquirente é uma alternativa que permite obter maiores taxas de sucesso no processamento de cartões de crédito. Além disso, ao utilizar um serviço que admita o processamento com mais de uma adquirente, é possível definir um adquirente para ser utilizado dependendo da bandeira do cartão ou, por exemplo, o número de parcelas solicitadas. Desta forma, pode-se ajustar o sistema a fim de obter a melhor tarifa de processamento em cada situação.
 
Estas alterações oferecem mais liberdade aos lojistas para que negociem as taxas, além de aumentar a flexibilidade na escolha de soluções de pagamento, melhorar as conversões e possibilitar reduzir os custos das transações.

Julia Hartmann

Esta página utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário em nosso site. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com a coleta e uso das informações para garantir a melhor experiência de navegação. Para saber mais, leia a nossa Política de Privacidade.

Aceitar