Indústria de software brasileira: um mercado para explorar

O Brasil é um mercado promissor para ser explorado por fabricantes de software. O mercado brasileiro de TI, que inclui a indústria de software bem como hardware e serviços, foi responsável por 3,3% do PIB do Brasil em 2015. O número representa um valor total de USD 60 bilhões e a indústria de software foi responsável por USD 12,3 bilhões deste total. Em comparação com 2014, houve um aumente de 30,2%, segundo um estudo da Associação Brasileira das Empresas de Software. O estudo também revela que mais de 76% dos produtos de software disponíveis no Brasil foram desenvolvidos no exterior.

 

 

Quota de TI no mercado de e-commerce brasileiro

 

O último relatório Webshoppers, da E-bit, indica que 7% dos negócios de e-commerce brasileiros são relacionados com o mercado de TI. O relatório também indica que o setor de TI representa 5,9% de todas as transações no e-commerce, ocupando a 7ª posição em termos de número de transações. No entanto, no que se refere à faturamento, TI é o número 4 no ranking de categorias, representando 9,5% da receita do e-commerce brasileiro.

 

Não há dúvida que o avanço do e-commerce tenha favorecido a comercialização de softwares mundialmente. Com as entregas eletrônicas, os desenvolvedores de software atualmente podem atingir um número maior de usuários de forma fácil. De fato, 25% dos consumidores brasileiros que compraram online em sites internacionais fizeram compras de produtos ou serviços de TI.

 

 

Opções de pagamentos dos brasileiros

 

Os consumidores brasileiros estão acostumados a contar com diferentes opções de pagamento para as transações de e-commerce. Analisando exclusivamente o setor de software, a PagBrasil estima que 58% das compras são pagas com cartão de crédito, enquanto o boleto bancário é o método escolhido 28% das vezes e transferências ou depósitos bancários representam 11% das transações. Outros métodos de pagamento, como os cartões de débito, representam somente 3% do total. É importante destacar que o boleto se torna ainda mais relevante no segmente B2B, já que muitas vezes é a única forma de fazer a cobrança a clientes corporativos.

 

Se sabe que os brasileiros estão acostumados a financiar suas compras e dependendo da indústria, os pagamentos parcelados podem representar de 75% a mais de 90% de todas as transações com cartão de crédito. Segundo a Cielo, dos compradores que escolhem pagar seus produtos de software com cartão de crédito, a grande maioria, 91%, prefere pagar parcelado.

 

 

Pagamentos recorrentes e a indústria de software

 

Os pagamentos recorrentes são uma tendência em alta na indústria de software, já que muitos produtos estão disponíveis no modelo de assinatura. Os pagamentos recorrentes permitem que os comerciantes cobrem os compradores regularmente, o que é essencial para aqueles que vendem produtos de software de assinatura ou SaaS. Os cartões de crédito são a única opção de configurar os pagamentos recorrentes de forma automática, no entanto, isso não significa que os negócios de software devem abrir mão de 42% de seus consumidores que escolhem outros métodos de pagamento. A PagBrasil oferece uma solução que permite aos lojistas online oferecer pagamentos recorrentes com boleto bancário.

 

Utilizemos uma subscrição mensal, com uma duração de 12 meses, como exemplo. Assim deveriam ser configurados os pagamentos recorrentes com boleto: o comerciante pode gerar facilmente 12 boletos com datas de vencimento diferentes utilizando nosso sistema e usar o serviço de e-mail da PagBrasil para enviar os boletos ao comprador mensalmente. Ao contrário do cartão de crédito, esta solução requer uma ação por parte do comprador. No entanto, na experiência da PagBrasil, se os consumidores estão satisfeitos com o produto ou serviço, assim como com a atenção ao cliente, muito provavelmente manterão suas assinaturas ativas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *