Marketplace | Marketplaces
Marketplace | Marketplaces

Repasses para marketplaces e plataformas: como funciona?

Os marketplaces estão ganhando mais relevância no mundo todo – e no Brasil, não é diferente. De acordo com o Ebit|Nielsen, o segmento cresceu 13% no país durante a primeira metade de 2019, com um faturamento de R$ 17,6 bilhões. Uma pesquisa realizada pelo Olist revelou que os varejistas online vendem seus produtos em plataformas de marketplaces porque isso ajuda a aumentar suas vendas e seu faturamento (81,5%), alcançar mais clientes (67,9%), fortalecer a marca (42%), testar novos canais de vendas (39,2%), seguir as tendências de mercado (36,8%) e empoderar a rede de lojistas e revendedores (6,7%).

Ainda, os vendedores online não são os únicos que se beneficiam dos marketplaces. No Brasil, onde 38 milhões trabalham informalmente, plataformas que permitem que as pessoas possam, de alguma forma, aumentar a sua renda são muito populares. Não é surpresa, por exemplo, que o Brasil é o segundo maior mercado da Uber, com mais de 600 mil motoristas cadastrados. Muitos encontraram na empresa uma alternativa para contornar o desemprego e a crise econômica. Outras plataformas e marketplaces de serviços, como o Helpie e o Triider, também ganham força nesse segmento já que ajudam tanto os prestadores de serviço quanto seus usuários.

Plataformas como essas ajudam a conectar vendedores, trabalhadores, freelancers e prestadores de serviço a um maior número de consumidores. E repassar o pagamento para esses parceiros e fornecedores sem comprometer a experiência do cliente final pode ser um desafio dependendo de cada cenário – mas, ainda assim, perfeitamente factível.

 

Quais são os diferentes cenários de repasses?

Primeiramente, é importante entender os diferentes cenários de repasses para cada plataforma. Muitos modelos de negócios online podem se beneficiar de uma solução de repasses para garantir um fluxo de pagamento simplificado e eficiente.

One-to-one (De um para um)

O cenário one-to-one é quando um consumidor é cobrado, e um fornecedor é pago. Esse é o cenário típico para negócios como o Uber, Freelancer.com, iFood, e outros.

One-to-many (De um para muitos)

Vamos supor que o consumidor tenha acessado a sua plataforma e comprado diversos produtos de diferentes lojas. Esse é um cenário one-to-many, onde marketplaces podem se beneficiar de uma solução de repasses para pagar múltiplos fornecedores.

Many-to-many (De muitos para muitos)

O cenário de repasses many-to-many é quando vários consumidores são cobrados e múltiplos fornecedores são pagos. Um bom exemplo para esse modelo é o GymPass: uma plataforma onde os usuários pagam determinado valor e têm acesso à diferentes academias parceiras.

Many-to-one (De muitos para um)

Quando muitos usuários são cobrados, e um beneficiário é pago. Plataformas de crowdfunding, como o Kickstarter, são um bom exemplo desse cenário.

 

Como funciona o ciclo de pagamento?

O ciclo de pagamento pode ser controlado de duas formas. Uma delas é por ciclos automáticos baseados em regras definidas pela plataforma – como, por exemplo, a escolha da porcentagem do split de pagamento para cada um dos lados.

A outra é por meio de uma instrução – por exemplo, depois que o produto foi recebido pelo consumidor ou que o serviço foi concluído com sucesso.

Uma solução de repasses pode oferecer uma série de benefícios. Além de simplificar o fluxo de pagamento, também evita a bitributação. Quer saber mais sobre repasses para plataformas e martkeplace? Deixe um comentário ou entre em contato pelo nosso site!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *