Pagamentos invisíveis | Invisible Payments
Pagamentos invisíveis | Invisible Payments

Pagamentos invisíveis: o que são e quais as tendências para o futuro

Se você já solicitou uma viagem de carro por aplicativo, pediu seu almoço online ou acessou alguma plataforma de streaming, é provável que você tenha efetuado um pagamento invisível. Essas transações tão simplificadas se tornam praticamente imperceptíveis para o consumidor.

Os pagamentos invisíveis já fazem parte do dia a dia de milhões de brasileiros que adquirem produtos e serviços através de plataformas digitais. Usuários de aplicativos como Uber, 99 e iFood, ou de serviços de streaming como Netflix e Spotify, são exemplos de consumidores que usufruem do valor agregado da conveniência e experiência de compra facilitada, em um cenário onde o pagamento deixa de ser uma barreira.

 

Pagamentos sem fricção no dia a dia

Pagamentos recorrentes e compras com 1-clique são funcionalidades que permitem entregar essa experiência imperceptível. Após cadastrado o método de pagamento na primeira compra, o usuário pode efetuar os próximos pagamentos utilizando os dados armazenados na plataforma de forma segura e extremamente simples. Isso é possível graças à tokenização, tecnologia que armazena os dados por meio de criptografia.

Leia também: Pagamentos recorrentes: 5 dicas para uma gestão de assinatura eficiente

Assim, o esforço do consumidor para efetuar novas compras é extremamente reduzido. Por exemplo: ao contratar um plano de assinatura com pagamento recorrente e optar pelo cartão de crédito ou débito como método de pagamento, o consumidor só precisa preencher os dados no checkout uma única vez, em sua primeira compra, já que as próximas mensalidades virão automaticamente no método selecionado. Por outro lado, nas compras com 1-clique, a única interação necessária do usuário é na hora de escolher o produto e clicar no botão de compra para confirmar o pedido, já que os dados do cartão estão armazenados em sua conta ou carteira digital.

Outro exemplo de pagamentos invisíveis são as tags veiculares, que há tempos são utilizadas no Brasil. Originalmente pensadas para automatizar cobranças em pedágios e estacionamentos, essa tecnologia se tornou uma opção de pagamento também para drive-thru. Utilizando o saldo ou método de pagamento cadastrado, o consumidor pode optar por realizar a compra através da tag conveniada ao restaurante. Tudo que ele precisa fazer é informar o atendente que deseja concluir o pedido desta forma.

 

É possível simplificar ainda mais?

O futuro dos pagamentos invisíveis já chegou, mas pode ser ainda mais simplificado. Melhorar a experiência no checkout e reduzir os passos do cliente no processo de compra é o primeiro objetivo, afinal, todo pagamento recorrente ou com 1-clique só pode ser habilitado depois que o consumidor atravessa o checkout para efetuar a primeira compra. Se durante esse processo ele encontrar formulários extensos e complexos, a chance de abandono de carrinho aumenta.

Além disso, aliar e aprimorar tecnologias e métodos de pagamentos já existentes são os próximos passos para simplificar ainda mais a jornada de compra do consumidor. Carteiras digitais, como Samsung Pay, Apple Pay e Google Pay, além do Pix, método de pagamento instantâneo, serão cada vez mais otimizados para promover uma experiência mais fluída e imperceptível.

Leia também: Os números do Pix e as projeções para os próximos meses

 

Quer saber mais?

Durante sua palestra no evento The Future os E-commerce, edição Payments, o CEO e cofundador da PagBrasil, Ralf Germer, explicou quais são os principais exemplos de pagamentos invisíveis no cotidiano e como as transações imperceptíveis ainda podem evoluir. Confira o artigo com os principais insights da palestra ou assista à gravação abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *