A importância da classe média no e-commerce

O Brasil sempre foi conhecido por sua grande desigualdade social. No entanto, graças ao forte crescimento econômico que o país experimentou entre 2003 e 2014 e às iniciativas efetivas para a redução da pobreza, mais de 35 milhões de brasileiros passaram a integrar a chamada “nova classe média”.

No entanto, o desafiador cenário dos últimos anos contribuiu para o aumento da taxa de desemprego e a diminuição do poder aquisitivo. Apesar disso, a classe média, incluindo os indivíduos da nova classe média, atualmente compõe a maioria da população do Brasil e representa quase 70% de todos os consumidores de e-commerce.

 

Os consumidores de e-commerce da classe média

Segundo dados do IBGE, os 10% mais ricos da população brasileira concentram quase 45% de todos os rendimentos no país. Já os ganhos recebidos por 1% do topo da pirâmide social são, em média, 36 vezes maiores que os rendimentos dos 50% da população com as menores rendas. Apesar disso, a classe média é extremamente importante para o segmento de e-commerce.

O último relatório Webshoppers, da Ebit, identificou que os consumidores das classes sociais C (renda familiar entre R$ 3.816,01 e R$ 9.540) e D (nova classe média, com renda familiar entre R$ 1.908,01 e R$ 3.816) representam, respectivamente, 36,8% e 30,4% de todos os compradores digitais no país. Ou seja, 67,2% de todos os consumidores de e-commerce no Brasil se enquadram na categoria socioeconômica classificada como classe média.

Segundo pesquisa divulgada pela Conversion sobre o consumidor digital no Brasil, 17% dos compradores da nova classe média gastam mais de R$ 600 em cada compra online, enquanto 30% geralmente gasta mais de R$ 450 por pedido, ambos acima do ticket médio do e-commerce nacional, que gira em torno de R$ 429.

 

Como os lojistas podem atingir a classe média?

É importante destacar que uma parcela significativa de consumidores da classe média do país pertence a população não bancarizada ou que não tem acesso ao crédito. Por isso, não surpreendem os números apresentados pela pesquisa da Conversion, onde foi identificado que 57%* dos consumidores digitais brasileiros preferem pagar suas compras com boleto bancário.

Ao disponibilizar o boleto bancário na página de pagamento, os lojistas terão mais facilidade para atingir os consumidores da classe média que não possuem contas bancárias ou tiveram a solicitação para um cartão de crédito negada. Além disso, os comerciantes que integrarem o Boleto Flash® em suas lojas, o exclusivo boleto criado pela PagBrasil que oferece confirmação do pagamento no mesmo dia e conta com um layout responsivo, também se beneficiarão de melhores taxas de conversão de pagamento. Leia mais sobre como otimizar as conversões do boleto aqui.

Apesar disso, a grande maioria dos consumidores que possuem cartão de crédito ainda optam pelo pagamento parcelado. O estudo da Conversion indicou que o parcelamento no cartão de crédito é a forma de pagamento preferida de 63% de todos os consumidores de e-commerce. Dados da PagBrasil indicam que em 75% de todas as transações com cartão de crédito os compradores aproveitaram a opção do parcelamento, caso ela exista.

Segundo o Webshoppers, no ano passado, a média de parcelas no e-commerce brasileiro foi de 3,3. No entanto, ao utilizar o cartão de crédito da loja, o número chegou a 6,4 parcelas. A plataforma de pagamentos da PagBrasil dá ao lojista a possibilidade de oferecer até 12 parcelas para seus compradores.

Confira mais sobre o perfil dos consumidores de e-commerce no Brasil neste artigo. E não deixe de contatar-nos se deseja saber mais sobre os métodos de pagamento que podem ajudá-lo a explorar a excelente oportunidade de focar nos consumidores da classe média.

*pergunta de múltipla escolha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *