custo brasil
custo brasil

Entendendo o custo Brasil

Comerciantes online que operam em diferentes países normalmente se espantam com os altos custos de fazer negócio no Brasil. Além das taxas bancárias e de processamento de pagamentos serem mais caras no país que em qualquer outro lugar, a elevada carga tributária e alta taxa de inflação, somadas ao complexo e caro processo de repatriação de dinheiro, fazem com que os custos gerais sejam ainda mais altos. Os brasileiros até inventaram a expressão “custo Brasil”, usada para descrever os elevados custos de negócios no país. O custo Brasil tem origem diversa, como um excesso de burocracia, corrupção, regulamentação excessiva e falta de infraestrutura. No fim, isso faz com que negócios e consumidores acabem pagando pelo famigerado custo Brasil.

 

Por que o processamento de pagamentos é mais caro no Brasil?

O custo Brasil se reflete diretamente nas taxas de processamento de pagamento. Por exemplo: a carga tributária do Brasil deve fechar 2017 em quase 33% do PIB do país. Por este motivo, existem significantes taxas não-reembolsáveis cobradas sob as taxas das transações que cada membro da cadeia de processamento precisa pagar: banco emissor, adquirente de pagamento, processador de pagamento. Por isso, as taxas finais apresentadas ao comerciante devem cobrir estas taxas.

Além disso, um estudo do Banco Mundial identificou um excesso de burocracia no Brasil. Enquanto negócios em países como a França e o Reino Unido precisam de 137 horas e 110 horas respectivamente para preparar e pagar seus impostos, as empresas brasileiras gastam, na média, 2.038 horas na mesma tarefa. O país também terminou 2016 na 123ª posição no índice “Ease of doing business” do Banco Mundial, que classifica os países pelo seu grau de facilidade de se fazer negócios. Tal posição indica que o ambiente regulatório no Brasil é menos favorável às operações de negócios que em muitos dos 190 países analisados.

Igualmente, devido às altas taxas de juros os negócios precisam gastar muito sempre que precisam de financiamento. Por exemplo, a taxa conhecida como Selic é de 9.25% atualmente – a primeira vez nos últimos dois anos que a mesma não está acima da marca de dois dígitos, já que a média entre 2015 e o começo do ano foi de 13-14%. No entanto, a Selic é somente uma taxa de juro base usada pelo Banco Central para cobrar os bancos. A taxa de juros do mercado é calculada tendo em conta tanto a Selic como fatores como o cenário macroeconômico e os riscos do mercado, o que pode fazer com que chegue a 18% a 20%.

É importante destacar que, como as adquirentes brasileiras liberam os pagamentos somente após 31 dias, os processadores de pagamento, como a PagBrasil, normalmente precisam antecipar algo de dinheiro para garantir que as liquidações sejam feitas a tempo. Por este motivo, as taxas de processamento de pagamento normalmente incluem as taxas de juros que se aplicam nesta situação.

Adicionalmente, os custos de conversão de divisa e repatriação de capital, somados à complexidade deste processo, também impactam os custos totais do processamento de pagamentos no Brasil. Por esta razão, é fundamental que os comerciantes que vendam ao Brasil escolham um provedor que ofereça um modelo de conversão transparente e com eficácia de custos. É comum ver a taxa de conversão chamada dólar turismo sendo usada para remessas internacionais. No entanto, esta taxa deixou de existir oficialmente em 2005.

Leia mais sobre os custos ocultos do dólar turismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esta página utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário em nosso site. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com a coleta e uso das informações para garantir a melhor experiência de navegação. Para saber mais, leia a nossa Política de Privacidade.

Aceitar