Seguro de chargeback: é a melhor solução para o e-commerce?

Solicitar um chargeback (reversão de uma cobrança) de um pagamento efetuado com cartão brasileiro é assustadoramente simples. Basta que o titular ligue para a sua administradora de cartão de crédito informando o motivo pelo qual solicita o estorno. Não obstante, esta facilidade gera controvérsias. Por um lado, o mecanismo protege quem compra on-line contra cobranças indevidas. Por outro, é suficiente alegar que o titular não reconhece a compra, o que deixa o comerciante exposto à fraude amiga. Por este motivo, o controle de chargebacks é uma grande preocupação dos lojistas online. Diante deste problema, surgiu o que aparentemente prometia ser a solução perfeita: serviços de seguro contra chargebacks. No entanto, eliminar totalmente os riscos e garantir 0% de chargeback tem um preço e pode se tornar uma desvantagem para o negócio.

 
 

O que é um seguro de chargeback?

 

Normalmente, um pedido de chargeback gera diferentes fontes de perda para o lojista. Primeiramente, se o produto já foi entregue não há como recuperá-lo. Nestes casos, além de deixar de receber o dinheiro pelo produto ou serviço fornecido, o comerciante terá que arcar com a taxa de processamento do pagamento e uma taxa extra imposta pelas adquirentes e processadores de pagamentos, uma espécie de penalização pelo chargeback. Adicionalmente, se a porcentagem de chargebacks sobre o total de transações superar um determinado nível, também pode ser gerada uma taxa adicional.

 

Um seguro contra chargeback é um serviço contratado para proteger totalmente o lojista nesta situação. Conta com um sistema de análise das operações e, portanto, aplica um filtro prévio à aceitação do pagamento. O seguro contratado oferece uma garantia que cobre 100% do prejuízo do comerciante caso seja aprovada alguma transação fraudulenta.

 
 

Por que afeta negativamente as conversões?

 

O seguro de chargebacks oferece uma garantia total, de forma que o lojista não precisa assumir nenhum dos custos mencionados anteriormente. Isto significa que quem assume esse risco é a empresa que está assegurando e, portanto, que ela fará o que puder para que o risco assumido seja o menor possível.

 

Para isso, empresa que ofereça a garantia total contra chargebacks filtrará massivamente as transações. Na prática, isso quer dizer que o sistema bloqueará muitos pagamentos que poderiam ter sido convertidos em vendas. Além de diminuir o risco, esta filtragem também ocasiona uma drástica redução nas taxas de conversão da loja online, pois muitas transações reais acabam sendo identificadas como possíveis fraudes.

 

Segundo dados da Konduto, a média de tentativa de fraudes no e-commerce brasileiro é de 3,58%. No entanto, lojas online que usam sistemas de proteção total contra chargebacks podem alcançar uma taxa de cancelamento de 15%. Apesar da segurança de contar com um seguro, o resultado final na receita da empresa pode acabar sendo negativo e o uso do serviço acaba sendo contra produtivo.

 

De todas formas, manter os Chargebacks sob controle continua sendo uma prioridade para qualquer negócio online. Para isso, há uma série de medidas que o comerciante pode tomar de forma preventiva. A PagBrasil conta com o PagShield, um serviço anti-fraude que identifica automaticamente as transações fraudulentas e reduz falsos positivos, além de permitir obter a pré-autorização do pagamento para que o comerciante possa verificar os dados do cliente antes de finalizar a venda.

Julia Hartmann

Esta página utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário em nosso site. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com a coleta e uso das informações para garantir a melhor experiência de navegação. Para saber mais, leia a nossa Política de Privacidade.

Aceitar