e-commerce brasileiro | Brazilian e-commerce
e-commerce brasileiro | Brazilian e-commerce

E-commerce brasileiro continuará crescendo em 2015, mas a um ritmo menos intenso

Apesar da economia brasileira ter crescido apenas um decepcionante 0,5% no ano passado, o e-commerce brasileiro continua expandindo, alcançando uma notável taxa de crescimento de 24%, o que equivale a um volume total de R$ 35,8 bilhões (US$ 13,3 bilhões). Em 2015, se espera que o maior mercado de e-commerce da América Latina mantenha um forte crescimento de pelo menos 20%.

A economia brasileira como um todo está longe das altas taxas de crescimento de até 7,5%, como visto até 2010. A desaceleração econômica internacional, menos demanda de matéria-prima e produtos agrícolas de países como China, e problemas locais, como infraestrutura inadequada, alta tributação corporativa, aumento excessivo de gastos governamentais, inflação elevada de 6,56% em 2014 e crescentes taxas de juros, estão limitando o crescimento econômico. O governo esperava que a economia fosse impulsionada pela Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro, no entanto, as eleições presidenciais de 2014 e os diversos graves escândalos de corrupção reduziram a confiança tanto do consumidor como do investidor.

Por outro lado, o mercado de comércio eletrônico continua expandindo independentemente da situação econômica geral. Ralf Germer, CEO da PagBrasil, um dos principais provedores de serviços de pagamentos online para o Brasil, explica: “executivos de empresas internacionais com quem eu converso geralmente acreditam que o crescimento do e-commerce no Brasil está alinhado com o pobre desenvolvimento atual do PIB. No entanto, este não é o caso, e ambos deveriam ser tratados como duas economias separadas. A classe média de aproximadamente 40 milhões de pessoas vai bem. Apesar das taxas de juros elevadas e uma leve desaceleração do Real reduzirem o poder de compra, estas pessoas ainda se encontram com um forte mercado de trabalho e aumentos salariais”. Além disso, o e-commerce está conquistando uma parcela do mercado do varejo físico. Segundo o IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, o varejo físico cresceu 8,9% durante os primeiros 10 meses de 2014, um crescimento significativo que destaca o grande potencial do e-commerce no Brasil.

Os investimentos estrangeiros diretos no Brasil foram de US$ 60 bilhões em 2014 e analistas esperam que esta cifra se mantenha estável também em 2015. Ralf Germer adiciona, “os grandes eventos esportivos focaram muita atenção no Brasil e claramente atraíram várias companhias multinacionais. A PagBrasil teve um ano extraordinário e esperamos continuar com uma alta taxa de crescimento durante 2015 junto a nossos atuais e futuros comerciantes.

Esta página utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário em nosso site. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com a coleta e uso das informações para garantir a melhor experiência de navegação. Para saber mais, leia a nossa Política de Privacidade.

Aceitar