Payment gateway | gateway de pagamento | pasarela de pago
Payment gateway | gateway de pagamento | pasarela de pago

Como escolher um gateway de pagamento

Escolher o gateway de pagamento adequado e essencial para facilitar o processo de pagamento em qualquer loja online. Um gateway de pagamento permite que o comerciante tenha controle total do fluxo de pagamento, ao mesmo tempo que simplifica a conexão técnica com as adquirentes de cartão. No entanto, existem muitas soluções no mercado. Com isso em mente, preparamos este breve guia para ajudar os lojistas online a escolherem a melhor alternativa para suas lojas.

 

O que é um gateway de pagamento?

Um gateway de pagamento é a solução técnica que possibilita que as lojas online processem pagamentos. Trata-se de um serviço de back-end que conecta a loja online com as adquirentes de cartão, transferindo de forma segura a informação de pagamento entre elas. Basicamente, funciona como o equivalente online das máquinas de cartão (as populares “maquininhas”). Os comerciantes assinam contrato com as adquirentes de cartão e recebem diretamente delas os fundos coletados.

 

Como escolher um gateway de pagamento

Vários pontos devem ser considerados quando se está buscando um gateway de pagamento. Para facilitar o processo de seleção, preparamos uma lista com os itens mais relevantes que os comerciantes devem ter em mente:

 

    • Compatibilidade: verificar se um gateway de pagamento é compatível com a plataforma de e-commerce usada por uma loja online é um ponto muito importante. Esta deve ser a primeira coisa feita, já que não há motivos para verificar todos os outros pontos se o gateway não pode ser integrado na loja online, a menos que o comerciante esteja disposto a fazer a migração para outra plataforma de e-commerce.
    • Integração: um bom gateway de pagamento deve poder ser integrado facilmente em qualquer ambiente web. Deve, também, ser compatível com os sistemas das lojas ou linguagem de programação, além de oferecer uma integração constante. As adquirentes de cartão costumam alterar seus parâmetros de integração, o que força o lojista com integração direta com a adquirente a ajustar sua integração técnica. Por outro lado, o gateway soluciona este problema para os comerciantes, já que adapta sua plataforma às mudanças feitas pelas adquirentes, proporcionando ao negócio online uma integração constante e estável.
    • Segurança: A indústria de pagamentos possui padrões de segurança estritos e o gateway de pagamento de cumpri-los. Os lojistas precisam certificar-se que o gateway escolhido cumpri com todos os padrões, especialmente o PCI DSS, um padrão de segurança criado pela Visa e MasterCard que certifica que um gateway de pagamento é seguro para armazenar os detalhes do cartão de crédito. A PagBrasil, por exemplo, cumpre com os requisitos PCI DSS Level 1, versão 3.2, com certificado emitido pela Trustwave. Trata-se do padrão de segurança mais alto existente na indústria de pagamento. Além disso, é importante que o gateway de pagamento tenha uma solução própria, como a Plataforma da PagBrasil, que é completamente desenvolvida internamente. Ao ter uma plataforma própria, o gateway pode adaptar-se rapidamente às necessidades do comerciante e do mercado. Igualmente também ganha em segurança, já que terceiros não têm acesso ao seu sistema e consegue mais flexibilidade para criar, testar e otimizar soluções inovadoras.
    • Reconciliação: idealmente, um gateway de pagamento deve oferecer uma série de recursos adicionais, como inteligência empresarial com relatórios e gráficos customizados para um melhor entendimento de toda a operação do negócio. Por exemplo, o gateway da PagBrasil proporciona acesso fácil a informação relativa às taxas de conversão, que normalmente não são mostradas pelas adquirentes, que somente consideram as transações aprovadas. Para comerciantes que desejam obter informação mais aprofundada, a empresa também oferece serviços opcionais de reconciliação.
    • Funcionalidade: um gateway de pagamento deve proporcionar funcionalidades básicas e avançadas como pagamentos recorrentes e compra em um clique, que ajudam a melhorar a experiência de pagamento, bem como a pré-autorização, que faz com que o comerciante ganhe um tempo extra para realizar análises de risco adicionais, captura parcial e retentativa multiadquirente.
    • Prevenção de fraude: um gateway de pagamento não filtra nenhuma transação por conta própria. Mas, deve ser compatível e estar integrado com soluções de prevenção de fraude. Alguns provedores de gateway possuem suas próprias ferramentas e outros estão integrados com serviços antifraude de terceiros, o que possibilita que o comerciante utilize este serviço sem a necessidade de outra integração técnica. A PagBrasil oferece o PagShield, além da possibilidade de utilizar as soluções antifraude da Konduto e da ClearSale através de sua plataforma.
    • Checkout transparente: escolher um gateway que fique por trás da própria página de checkout da loja proporciona maiores taxas de conversão. Isso ocorre principalmente porque os compradores sentem-se mais seguros quando não precisam deixar o site para completar o pagamento, além de que assim se evita adicionar outro passo ao processo de checkout.
    • Poder de negociação: como um gateway de pagamento somente oferece uma solução técnica, o comerciante precisa estabelecer uma relação contratual com as adquirentes. Ao escolher um gateway, os lojistas online devem verificar se o gateway está integrado com mais de uma adquirente. A possibilidade de trocar de uma adquirente para outra dá ao comerciante mais poder de negociação para conseguir melhores taxas com as distintas adquirentes de cartão. Além disso, os lojistas podem obter acesso a mais bandeiras de cartão.
    • Suporte: outro ponto relevante é o suporte técnico. Os comerciantes precisam certificar-se de que um gateway de pagamento esteja preparado para proporcionar suporte técnico rápido e competente.
    • Custos: normalmente, há um custo de integração que o lojista deve pagar antes de implementar a plataforma do gateway de pagamento. Os gateways normalmente cobram uma taxa por transação gerada, tanto as finalizadas como aquelas não têm êxito. Estas taxas se aplicam para transações de pagamento, reembolso e estorno. No entanto, os custos não devem ser um fator determinante na escolha. Recomendamos firmemente que também sejam analisados todos os outros pontos para poder escolher o gateway que melhor se encaixa às suas necessidades de um e-commerce.

 

Cabe destacar que o uso de um gateway de pagamento normalmente é a melhor alternativa para comerciantes com um maior volume de vendas já que lhes permite reduzir seus custos gerais. O uso do gateway também requer que a empresa tenha uma certa estrutura para lidar com todos os processos e relações contratuais. Por isso, se um negócio não conta com tal estrutura, um processador de pagamentos que ofereça serviços de intermediação, onde o processador tem os contratos com as adquirentes de cartão e é o responsável pela transferência do dinheiro coletado ao comerciante, pode ser a solução ideal. Se os lojistas desejam manter certo controle sobre os pagamentos, escolher um provedor que ofereça um modelo híbrido, pode ser a solução.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comments

  • Wictor Bispo 2 de fevereiro de 2020

    Bom dia gostaria de saber se com a sua ferramenta posso trabalhar como se eu mesmo fosse um gatway de pagamentos assim acredito como vc e como a gerencianet

  • Rosa naria 2 de março de 2020

    Bom dia. Adorei a matéria. Tem como enviar contatos das empresas adquirentes?
    Estou implementando visa checkout para doações internacional
    Obrigada
    Rosa Maria

Esta página utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário em nosso site. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com a coleta e uso das informações para garantir a melhor experiência de navegação. Para saber mais, leia a nossa Política de Privacidade.

Aceitar