Os celulares e seu papel na inclusão financeira

Promover a inclusão financeira é essencial para estimular o desenvolvimento ao redor do mundo. Ao ter acesso a serviços financeiros, os cidadãos têm mais facilidades para investir em si mesmos (saúde, negócios, educação, etc.) bem como para gerenciar seus ingressos, o que aumenta suas possibilidades de escapar da pobreza. A crescente adoção dos celulares e da internet mundialmente criou novas oportunidades para os serviços financeiros. Segundo o Banco Mundial, existem 1,7 bilhões de adultos não bancarizados globalmente. No entanto, dois terços deles possuem um celular, o que facilita o acesso a serviços financeiros.

 

 

Celulares e a inclusão financeira

 

Serviços financeiros digitais são chave para fomentar a inclusão financeira universal. Os celulares, particularmente, têm um papel importante neste sentido. Para muitos de nós, é inconcebível o uso de SMS para pagar contas, por exemplo. No entanto, em muitos países, isto é uma realidade. Contas de dinheiro móvel são extremamente populares em economias menos desenvolvidas e são cruciais para reduzir as transações em dinheiro.

 

Os donos de smartphone, por outro lado, disfrutam de um acesso facilitado a uma variedade de serviços, do banco tradicional a alternativas fintech disruptivas. Os dados do Gallup World Poll 2017 indicam que 93% dos adultos em países ricos possuem um celular. O número baixa para 79% em economias em desenvolvimento. Igualmente, os números ressaltam a importância dos celulares na revolução financeira.

 

 

Qual é a situação no Brasil?

 

Há mais de 50 milhões de adultos sem conta bancária no Brasil. No entanto, isto não significa que eles não tenham acesso a nenhum tipo de serviço financeiro. Segundo o Banco Central, 90% dos adultos no país têm acesso a serviços financeiros.

 

Além disso, o IBGE aponta que 92,3% das famílias brasileiras têm pelo menos um smartphone. Na realidade, estes dispositivos móveis também são extremamente importantes para a inclusão digital no país, já que atualmente quase 40% das conexões à internet são realizadas exclusivamente através de smartphones no Brasil.

 

Um estudo do Banco Central em parceria com a Delloite identificou que 21,9 bilhões de transações financeiras – de um total de 65 bilhões – foram feitas através do mobile banking (aplicativos do banco) em 2016. Ademais, os apps dos bancos foram responsáveis por 57% de todas as transações digitais, o que se explica pelo crescente uso de smartphones para realizar a conexão à internet frente ao desktop.

 

As empresas fintech no Brasil, assim como ao redor do mundo, têm um papel importante no que se refere a promover a inclusão financeira. Inovação é essencial, mas isso não significa necessariamente high tech. Por exemplo, a PagBrasil criou uma Tecnologia exclusive para seu Boleto Flash® e Boleto Express que permite que os consumidores possam visualizar e pagar seus boletos mais facilmente em celulares e inclusive in-app. O método de pagamento em si é um velho conhecido dos consumidores brasileiros, particularmente aqueles que não possuem contas bancárias ou cartões de crédito. No entanto, o mesmo não estava adaptado para esta nova realidade na qual os consumidores usam seus celulares de forma majoritária para acessar a internet e onde o m-commerce já representa 30% de todas as transações do e-commerce.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *