Por que há tanto atraso na entrega de compras internacionais?

Na semana passada falamos sobre as compras internacionais no mercado de e-commerce brasileiro. O segmento cross border se tornou muito popular entre os consumidores brasileiros. Em 2017, 22,4 milhões de consumidores compraram em sites internacionais. O número representa quase metade de todos os consumidores digitais no Brasil. Com a crescente relevância do segmento cross border, os compradores são cada vez mais afetados pela deficiente infraestrutura logística do país e acabam esperando muito tempo para receber suas compras.

 

 

Por que a situação é pior para compras internacionais?

 

Ao comprar em um site estrangeiro, os consumidores estão realizando a importação de mercadorias. Por isso, cada encomenda deve ser inspecionada pela Receita Federal ao chegar no Brasil e antes de ser liberada para os Correios para sua distribuição.

 

Os Correios podem demorar até 40 dias para entregar um pacote depois de sua liberação pela Receita Federal. Combinado com o tempo adicional que a alfândega brasileira precisa para inspecionar e processar todas as encomendas, os consumidores podem facilmente enfrentar esperas que superam os 60 dias. Este prazo não inclui o tempo que o pacote demora para chegar no Brasil.

 

As encomendas internacionais provenientes da China correspondem a maior parte da carga de trabalho recebida na Receita Federal (aproximadamente 200.000 pacotes diariamente), particularmente devido a popularidade de sites chineses como AliExpress e o avanço do modelo de negócio de dropshipping. O problema com envios originados na China é que os pacotes podem demorar entre 15 e 20 dias só para chegar no Brasil.

 

Para poder oferecer envio barato ou até mesmo gratuito, as empresas chinesas reúnem diversas encomendas em um único envio e assim reduzem custos. Isto significa que as mercadorias não são enviadas instantaneamente após a compra ser finalizada. Além disso, há uma falta de padronização nas etiquetas dos pacotes ou informação incompleta, como a falta de CEPs, que fazem com que o processamento de encomendas vindas da China seja mais laborioso e pouco automatizado.

 

 

Como os atrasos impactam os negócios?

 

Os consumidores normalmente ficam perdidos sobre quem é responsável pelos atrasos. A loja e os Correios são os principais alvos de suas frustrações. No entanto, grande parte dos atrasos ocorre na Receita Federal. Existem três centros de processamento de encomendas internacionais no Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. Quase 95% de todos os pacotes são recebidos em Curitiba, já que são as encomendas de menor valor. Por isso, a cidade conquistou uma má reputação no que diz respeito aos atrasos. Às vezes, é possível acelerar o processo de liberação da encomenda, como explicamos aqui.

 

Apesar de que a maioria dos sites esteja disponível em português e inclusive ofereçam métodos de pagamento nacionais, como parcelamento e boleto bancário, as mercadorias são enviadas de um país estrangeiro e serão tratadas como importação. Muitos consumidores não estão cientes disso ou ainda não estão muito familiarizados com as compras internacionais. Por isso, costumam ver nos atrasos um sinal de fraude. Portanto, os lojistas devem estar preparados para oferecer um excelente serviço de atenção ao cliente nestas situações e assim evitar uma má reputação online e altas taxas de chargeback (estorno).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Comment

  • Adriaonjm 17 de janeiro de 2020

    Ou seja. O que os EUA não conseguiram fazer com todo o seu poderio econômico o Brasil faz facilmente, quebramos a poder da cadeia produtiva da da China, nunca se deve duvidar da incompetência.

Esta página utiliza cookies para melhorar a experiência do usuário em nosso site. Ao clicar em "Aceitar", você concorda com a coleta e uso das informações para garantir a melhor experiência de navegação. Para saber mais, leia a nossa Política de Privacidade.

Aceitar