11 Abril 2019

A evolução do comportamento do consumidor de e-commerce no Brasil

consumidor de e-commerce

Você pode ficar surpreso ao saber que as primeiras operações de comércio eletrônico no Brasil começaram nos anos 90. As primeiras lojas online brasileiras foram criadas em 1995 e em 2000 elas começaram a ver um crescimento nas vendas, pois o Brasil começou a desfrutar de uma maior estabilidade econômica, depois de lutar com altas taxas de inflação. Este cenário favorável foi ideal para a consolidação do e-commerce no Brasil. Vejamos a evolução do comportamento do consumidor de e-commerce ao longo dos anos e como o segmento de comércio online mudou.

 

 

Os anos 2000

 

De acordo com os dados apresentados pelo Ebit|Nielsen no evento Ads & Performance 2019, organizado pelo E-commerce Brasil, os primeiros anos da internet no Brasil serviram principalmente para socialização e relacionamento. Nos anos 2000, as pessoas passavam sete horas por mês na internet, e as que optavam por comprar on-line costumavam escolher essa opção para que pudessem ter seu produto entregue em casa (74% dos consumidores). Além disso, 72% gostaram da possibilidade de comprar a qualquer hora do dia e 65% acharam que a ferramenta era um bom poupador de tempo.

 

Você se lembra de comprar CDs, DVDs e VHS? Nos anos 2000, 26% dos consumidores de e-commerce no Brasil costumavam comprar esses produtos on-line, seguidos de livros e revistas e eletrônicos, com 18% e 8% de participação, respectivamente. Além disso, quase metade dos consumidores (47%) compraria on-line por já conhecer a loja física. Segundo o Ebit, na época, a receita total gerada no e-commerce brasileiro era de R$ 500 milhões. Além disso, os consumidores preferiam comprar on-line aos domingos e segundas-feiras, 40% dos compradores queriam pagar em até 10 prestações e o m-commerce representava menos de 1% de todas as transações de comércio eletrônico.

 

 

De 2010 a 2017

 

Em 2010, o aspecto social da internet no Brasil já estava bem estabelecido. A maioria da população tinha pelo menos um perfil em rede social e 62% da população possuia um telefone celular. É no início de 2010 que começamos a ver os consumidores mais motivados pelo preço ao optarem por comprar online. Além disso, a mídia social começou a desempenhar um papel importante no processo de decisão, tendo uma grande influência nas vendas globais de e-commerce. Este é também o momento em que a experiência do consumidor e os reviews on-line de produtos e serviços começaram a ganhar espaço no Brasil.

 

A partir de 2011, negócios online menores começaram a ganhar relevância, representando mais de 10% da indústria brasileira de e-commerce. Nesta época, o segmento de moda e acessórios também aumentou sua representatividade em número de pedidos, tornando-se a categoria de produtos mais vendida. Em 2013, o m-commerce representava apenas 5% de todas as transações de comércio eletrônico.

 

 

O e-commerce nos dias de hoje

 

Independentemente das crises econômica e política que o Brasil atravessou desde 2014, em 2018 o segmento de comércio eletrônico se manteve bem estabelecido e houve a consolidação dos marketplaces. Atualmente no país, os usuários passam mais de nove horas on-line por dia, um enorme salto em relação às sete horas mensais em 2000, e muito acima da média global de 6,5 horas por dia. E as mídias sociais passaram a ser um dos principais impulsionadores das vendas online.

 

Hoje em dia, o m-commerce representa mais de 40% das vendas de e-commerce e 54% dos compradores escolhem pagamentos em parcela única, o que representa uma maior consciência de seus gastos e um reflexo do tipo de produtos que eles compram on-line com maior frequência, como roupas e produtos de beleza.

 

Além disso, os dias da semana são agora mais populares que os fins de semana, quando se trata de comprar online. Pensando em experiência do cliente, os consumidores possuem maiores expectativas agora. Quando compram on-line, eles julgam a loja responsável por todas as etapas do processo de compra, incluindo suporte ao cliente, entrega e pós-venda.

 

Após acompanhar a evolução do mercado, como você percebe a maturidade do seu e-commerce? Quais mudanças que você observou desde que começou a vender on-line? Conte um pouco de sua experiência, abaixo.

/ Escrito por Bianca Lopez - Seguir @biancatlopez

Deixe uma resposta